A importância do crescimento constante

Fonte: Banco Mundial. Elaboração própria.

Economia em Pílula - uma dose rápida de economia no seu dia | por Leonardo Palhuca

Enquanto passamos pela (provável) maior crise econômica que já nos acometeu, muitas explicações tentam desvendar o mistério do porquê de o Brasil não ir para a frente. A resposta definitiva não sabemos. Mas sabemos que essa história inconstante de PIBão, PIBinho e PIBículo não é o caminho certo e prejudica muito nossa caminhada para a renda alta.

Ao final de 1980, Brasil e Coreia do Sul possuíam renda per capita muito parecidas, por volta de US$ 2.000 ao ano. O que aconteceu com ambos desde então foi que (além das demais políticas que já conhecemos) a Coreia do Sul apresentou queda na sua atividade econômica somente em 1 ano. Enquanto isso, o Brasil teve retração do seu PIB em 7 dos 25 anos desde então.

Evitar quedas da atividade econômica garante que os ganhos de renda passados não sejam jogados fora. Mas ainda somos partidários de milagres no curto prazo...

Fonte: Banco Mundial. Elaboração própria.
Fonte: Banco Mundial. Elaboração própria.

 

Fonte: Banco Mundial. Elaboração própria.
Fonte: Banco Mundial. Elaboração própria.

palhuca

Comentários

mm
Sobre Leonardo Palhuca 103 Artigos

Doutorando em Economia pela Albert-Ludwigs-Universität Freiburg. Interessado em macroeconomia – política monetária e política fiscal – e no buraco negro das instituições.

2 Comentário

  1. A resposta é simples: Liberdade Econômica.
    Índices de LE dos dois países e posição no ranking mundial:
    Posição 27 - South Korea: 71.7
    Posição 122 - Brazil: 56.5

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*