Alavancagem no Brasil e no Mundo

Convidados Especiais | Paulo Gala

O principal motor de crescimento no Brasil nos últimos anos foi a expansão do crédito. O estoque crédito/PIB saiu de 20% em 2002 e foi próximo a 60%. Houve forte expansão no crédito imobiliário, crédito para consumo e automóveis. O crédito nos bancos públicos também aumentou de forma considerável e o tesouro injetou mais de R$300 bilhões no BNDES desde 2008. A imprensa internacional tem destacado recentemente o excesso de endividamento e alavancagem dos consumidores e empresas brasileiras. E também a forte expansão da dívida bruta por conta das capitalizações do BNDES. Tudo isso contribuiu também para a piora das perspectivas de nossos ratings de crédito. Como fica o Brasil em comparações internacionais? O gráfico abaixo mostra o grau de alavancagem do setor público e privado para diversos países no mundo. O Brasil não está tão endividado assim.
alavancagem_geral

Paulo Gala
É graduado em Economia pela FEA/USP. Mestre e Doutor em Economia pela Fundação Getúlio Vargas (FGV-EESP) de São Paulo, onde leciona desde 2002 e coordenou o Mestrado Profissional em Finanças e Economia de 2008 a 2010. Pesquisador visitante nas Universidades de Columbia em Nova Iorque e Cambridge na Inglaterra nos anos de 2004 e 2005. 

Texto original em:

Alavancagem no Brasil e no Mundo

Comentários

Sobre Terraço Econômico 280 Artigos
O Terraço Econômico é um espaço para discussão de assuntos que afetam nosso cotidiano, sempre com uma análise aprofundada visando entender quais são as implicações dos eventos econômicos, políticos e sociais. Desde seu início, o Terraço se compromete a oferecer conteúdo de qualidade, opinião equilibrada e imparcial, baseada em fatos passíveis de confirmação.