Anemia econômica

Economia em Pílula – uma dose rápida de economia no seu dia | por Leonardo Palhuca

 O governo já indicou o quanto espera de crescimento da economia para 2017: 1,6%. Provavelmente é um número bem otimista (como qualquer projeção oficial para dar apoio ao orçamento público). E mesmo com todo esse otimismo, é um crescimento anêmico. Lembre-se que o número se refere ao crescimento do PIB real. Desconte ai o crescimento da população e teremos um crescimento do PIB real per capita por volta de 0,5%.

Abaixo, o PIB desde 2015 e suas taxas de crescimento trimestrais. Apesar da provável reversão que teremos nas taxas de crescimento entre este ano e o próximo, ainda é muito pouco. Ao final de 2017 deveremos recuperar o nível de atividade que tínhamos ao final de 2015. O estrago dos últimos 2 anos foi imenso!

Fonte: IBGE. Elaboração própria.
Fonte: IBGE. Elaboração própria.

palhuca1

Comentários

mm
Sobre Leonardo Palhuca 99 Artigos
Mestre em Economia pela Albert-Ludwigs-Universität Freiburg (apóstolo de Hayek). Após a graduação trabalhou no Instituto Brasileiro de Governança Corporativa tentando fazer as empresas brasileiras se comportarem. Em vão! Também foi pesquisador o Walter Eucken Institute onde tentou fazer os estados alemães controlarem suas dívidas. Em vão! De quebra, sofreu lavagem cerebral da doutrina do ordoliberalismo para retornar ao Brasil e implantar ideias pouco ortodoxas como: respeito às leis que regem as atividades econômicas, liberdades individuais e pouca intervenção direta do estado na economia (e rigor fiscal, adicionalmente). Interessado em macroeconomia - política monetária e política fiscal - e no buraco negro das instituições.