BNDES versus Bolsa de Valores

Economia em Pílula. Uma dose rápida de economia no seu dia | por Leonardo Palhuca

A recente notícia de que a Souza Cruz, que possui capital aberto desde 1946, poderá fechar seu capital é mais uma nota triste para o moribundo mercado acionário no Brasil [1].

Mas o que está acontecendo para que cada vez menos empresas sejam atraídas para a Bolsa de Valores e até para que empresas considerem retirar suas ações de circulação?

Bom, alguns poderiam citar a recente desaceleração da economia brasileira, ou até mesmo considerar que o boom do mercado de capitais entre os anos de 2005 a 2007 não passou de um sonho de uma noite de verão. Mas aqui propomos uma explicação complementar: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES.

O gráfico abaixo indica o volume de desembolsos anuais em empréstimos do BNDES comparado com o volume captado em aberturas de capital na BM&FBOVESPA. Notem que após a crise econômica, o volume de desembolsos seguiu alto, enquanto as aberturas de capital não voltaram a ser atraentes.

Como ambas as fontes de financiamento são voltadas ao longo prazo, podemos ter aqui o famoso efeito crowding-out*.

Talvez bater na porta do BNDES seja menos trabalhoso e custoso que arrumar a casa e abrir suas portas para receber visitas.

Fontes: BNDES e CVM.
Fontes: BNDES e CVM.

* refere-se ao efeito que ocorre quando o setor público substitui o setor privado em determinada atividade econômica ao invés de complementá-lo. Neste caso, a oferta de empréstimos do BNDES a custos subsidiados expulsa investimento privado em empresas que buscariam a abertura de capital.

http://blogs.ft.com/beyond-brics/2013/01/24/brazils-bndes-crowding-out-not-crowding-in/

[1] http://oglobo.globo.com/economia/negocios/souza-cruz-planeja-fechar-capital-sair-da-bolsa-em-operacao-de-10-bilhoes-15413033

Comentários

mm
Sobre Leonardo Palhuca 99 Artigos
Mestre em Economia pela Albert-Ludwigs-Universität Freiburg (apóstolo de Hayek). Após a graduação trabalhou no Instituto Brasileiro de Governança Corporativa tentando fazer as empresas brasileiras se comportarem. Em vão! Também foi pesquisador o Walter Eucken Institute onde tentou fazer os estados alemães controlarem suas dívidas. Em vão! De quebra, sofreu lavagem cerebral da doutrina do ordoliberalismo para retornar ao Brasil e implantar ideias pouco ortodoxas como: respeito às leis que regem as atividades econômicas, liberdades individuais e pouca intervenção direta do estado na economia (e rigor fiscal, adicionalmente). Interessado em macroeconomia - política monetária e política fiscal - e no buraco negro das instituições.

1 Trackback / Pingback

  1. Clipping da Semana! | Terraço Econômico

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*