Efeitos da Lava Jato de novo?

Economia em Pílula - uma dose rápida de economia no seu dia | por Leonardo Palhuca

ATENÇÃO: ESTE TEXTO CONTÉM DOSES HOMEOPÁTICAS DE IRONIA.

Em post recente, parabenizamos ironicamente o juiz Sérgio Moro por ter feito as ações da Petrobras derreterem, conforme o deputado do PT-PI, Sibá Machado havia comentado.

As investigações continuaram e a semana passada foi cheia para a Lava Jato. Mas agora queremos parabenizar o juiz Sérgio Moro por ter valorização a empresa em 1 semana, algo que a atual gestão não fez em 5 anos.

Ações Preferenciais (PETR4)

Fonte: Yahoo Finance
Fonte: Yahoo Finance

Conforme observamos, as ações preferenciais da Petrobras subiram 41,8% desde a última terça-feira, contra uma média de 5% das concorrentes internacionais (Exxon-Mobil, Chevron-Texaco, Total, BP e Lukhoil). As maiores valorizações, durante os pregões de quinta e sexta-feira, ocorreram justamente após o vazamento da delação premiada de Delcídio do Amaral e da condução coercitiva de Lula para prestar depoimento na Polícia Federal, respectivamente.

Enquanto isso, as demais empresas do setor de capital aberto tiveram ganho pequeno no período. Assim, só nos resta dizer novamente: Parabéns, Sérgio Moro!!!!!!!!!

PS: o que ocorre é que a cada notícia da operação Lava Jato aumenta a probabilidade de haver troca do governo. Com isso, o mercado acredita que um novo governo melhoraria o ambiente de negócios e ajustaria as contas públicas, o que faria com que as empresas fossem mais lucrativas ao longo do tempo. Trazendo esses maiores lucros a valor presente, o preço das ações sobe se comparado com o cenário de manutenção do governo. Nada muda nos fundamentos da empresa em uma semana, somente a probabilidade de um cenário alternativo que aumenta para investidores.

palhuca

Comentários

mm
Sobre Leonardo Palhuca 104 Artigos
Doutorando em Economia pela Albert-Ludwigs-Universität Freiburg. Interessado em macroeconomia - política monetária e política fiscal - e no buraco negro das instituições.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*