Evolução da dívida pública brasileira desde 1978

Economia em Pílula – uma dose de economia no seu dia | por Arthur Solow

Muita gente fala que a dívida pública brasileira está em patamar bem menor comparativamente a outros países, como os EUA e o Japão, por exemplo. Isso é verdade. Basta mencionar que muitos países europeus, os EUA e o Japão tem uma dívida superior que o próprio PIB (ou seja, uma relação superior a 100%.). A nossa, segundo a última informação disponível pelo Banco Central, em maio/16, é de 73%.

Contudo, como já falamos várias vezes por aqui [1], a trajetória ou evolução da dívida é muito mais importante que o estoque ou o número absoluto. Para avaliar esse indicador, vamos analisar a evolução da dívida pública desde 1978, com os respectivos presidentes do período.


Evolução da Dívida Pública (% PIB) - BrasilFonte dos Dados: FMI ajust./BCB/FMI. Link para os dados: https://goo.gl/oLtsL6, http://goo.gl/J9LpNR, http://goo.gl/kcrtWR.



Em relatório neste ano, o FMI projetou [2] que, em 2021, a dívida pública em percentual do PIB pode chegar a 92%. Notem, portanto, que seria o segundo valor mais alto da série, só ‘perdendo’ para 1989, quando houve uma maxidesvalorização da moeda nacional.

E o ajuste fiscal vai sendo adiado... adiado... adiado.

Mas não se preocupe: a conta irá chegar (e com juros).

arthur-assin

Notas

[1] Ver este, por exemplo: http://goo.gl/CuyJzO

[2] http://goo.gl/NIa7nJ

Comentários

Sobre Arthur Solow 44 Artigos
Economista nato da Escola de Economia de São Paulo da FGV. Parente distante - diz ele - do prêmio Nobel de Economia Robert Solow, que, segundo rumores, utilizava um nome artístico haja vista a complexidade do sobrenome. Atualmente trabalha em uma empresa de consultoria para MPEs e possui experiência anterior de dois anos no mercado financeiro, em uma gestora de fundos de investimento. Possui artigos publicados na revista Agroanalysis, da FGV, direcionada a assuntos relacionados ao agronegócio brasileiro. Autor do extinto blog Política & Economia Brasil, incorporado ao Terraço Econômico, que ofereceu uma oferta significamente melhor que a do Facebook.

3 Comentário

  1. Artur: não estou muito convencido com esta série de dívida. Há uma queda abrupta em 1994 e a dívida do período Geisel me parece baixa demais.

    Como você construiu a série? Seria interessante que você explicitasse a metodologia que usou, assim como a definição dos dados (o período mais recente parece se referir à dívida bruta; o mesmo vale par ao período pré-2007?)

    Abs

    Alex

    • Oi Alexandre, Arthur te respondendo aqui.
      Foram mescladas duas séries de dados: a do FMI ( o link está abaixo do gráfico) e a do Banco Central. Observou-se que a série do BCB era 3 p.p. menor que a do FMI, e foi feito esse ajuste para a série do FMI. Para 2016 e 2017, peguei o número direto do Relatório do FMI.
      Mas concordo contigo. Talvez fosse necessário um rigor maior ao mesclar as duas séries de dados. Contudo, foi a maneira que achei para apresentar a série longa.
      Se quiser (e ficaríamos muito honrados com isso), abrimos um espaço aqui no Terraço para você escrever sobre o tema. O que acha?
      Obrigado pelo comentário!
      Um abraço,
      Arthur

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. Evolução da dívida pública americana desde 1969: a história contada por um gráfico - Terraço Econômico
  2. A explosão da dívida pública no Japão em um gráfico - Terraço Econômico

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*