Inflação em queda e desemprego em alta; um não causa o outro.

Artigo publicado em 11/05/2016, no jornal Gazeta do Povo, na parte “Opinião”

Os recentes números da economia brasileira não são animadores. O desemprego já beira os 10%, com taxa básica de juros em 14,25%. Pelo menos a inflação dá pequeno sinal de recuo, com o IPCA em fevereiro e março abaixo do previsto, projetado para fechar o ano em cerca de 7%, contra 11% visto em 2015.

À primeira vista, seria tentador dizer: o alto desemprego está causando a queda da inflação. Calma! Não há uma relação causal entre eles, apesar de seu aparente caminhar conjunto.

A relação negativa entre inflação e desemprego é conhecida como Curva de Phillips e dela vem a noção (errônea) de que é possível aumentar o emprego com um pouco mais de inflação ou, de forma inversa, reduzir o emprego para derrubar a inflação. Essa ideia de causalidade foi abandonada na década de 70, pelo menos por economistas que prezam pela evidência empírica.

—————->>> Continue lendo aqui <<<————————

palhuca

 

Devido a um acordo com o Jornal Gazeta do Povo, periódico de maior circulação no estado do Paraná, o Terraço Econômico publica apenas um trecho do artigo, que pode ser lido na íntegra por meio do link: http://goo.gl/8Y9mhc

Comentários

Sobre Leonardo Palhuca 87 Artigos
Mestre em Economia pela Albert-Ludwigs-Universität Freiburg (apóstolo de Hayek). Após a graduação trabalhou no Instituto Brasileiro de Governança Corporativa tentando fazer as empresas brasileiras se comportarem. Em vão! Também foi pesquisador o Walter Eucken Institute onde tentou fazer os estados alemães controlarem suas dívidas. Em vão! De quebra, sofreu lavagem cerebral da doutrina do ordoliberalismo para retornar ao Brasil e implantar ideias pouco ortodoxas como: respeito às leis que regem as atividades econômicas, liberdades individuais e pouca intervenção direta do estado na economia (e rigor fiscal, adicionalmente). Interessado em macroeconomia - política monetária e política fiscal - e no buraco negro das instituições.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*